Provence 2013

SUL DA FRANÇA

‘SEGUINDO OS PASSOS DE MARIA MADALENA E SANTA SARA”

Juntamente com a Zênith Travel Club e a Casa das Matryoscas, de Belo Horizonte, nós realizamos uma viagem em grupo ao sul da França, com o objetivo de seguir os passos de Maria Madalena e Santa Sara no início de nossa era. Toda a região guarda a história da cultura dos cátaros durante a Idade Média, nos castelos, nas igrejas e nas lendas repletas de mistérios não resolvidos. Esta região foi dominada pelos celtas e pelos druidas, e suas marcas ainda estão por lá. A região se chama Occitania, devido à língua falada por esses povos, que era chamada a língua de Ox.

A experiência que pretendíamos resgatar nesta viagem ao sul da França era baseada no entendimento de que sempre que um grupo de pessoas com a mesma sintonia se reúne sincronicamente, com o coração aberto, a natureza responde e a magia acontece!

Para mim, Rennes-le-Chateau foi uma visita emocionante. Sua história começa no final do século 19, quando o padre da paróquia de repente tornou-se muito rico, depois de ter descoberto alguns pergaminhos antigos escondidos na parede, enquanto fazia algumas reformas para sua igreja. Nesta reforma coisas estranhas aconteceram com a pintura de Maria Madalena. O tesouro pode ter sido dos Merovíngios e dos Templários. O interesse para desvendar esta história voltou nos anos 60. Muitos livros foram escritos a respeito, o mais famoso é o “Código da Vinci”, de Dan Brown.

Carcassone é a maior cidade murada intacta na Europa. Em 1997, Carcassonne foi adicionado pela UNESCO na lista de cidades do Patrimônio Mundial. Parece um sonho. Ao chegar, sua visão nos transporta para um outro tempo e dimensão, sua arquitetura inspirou vários contos de fadas, com cavaleiros e princesas. Somos arrebatados imediatamente para a Idade Média, assim que cruzamos a ponte levadiça. As ruas estreitas de pedra cinzenta transformam-se num labirinto, sem sabermos ao certo onde vai dar, se nas muralhas, na basílica ou na praça principal. Nossos passos ecoam ao longe, e a cada esquina parece que vai aparecer diante de nós um cavaleiro com sua armadura prateada e reluzente. Carcassonne foi reconstruída no século XIX, pelo arquiteto Viollet-le-Duc, o mesmo que restaurou os santuários de Notre-Dame de Paris e Sainte-Madeleine de Vézelay.

Um dos pontos altos da viagem foi a subida à gruta de Madalena. Atravessamos a bela e antiga floresta da Santa Baume e subimos à montanha onde está a gruta de Maria Madalena. Esta foi uma peregrinação de um dia inteiro, para sentir a energia deste local e para que cada um tivesse a sua experiência pessoal com Maria Magdala.

Segundo a história, Maria Madalena fugiu para a região de Camargue, no sul da França, por onde viajou pregando incessantemente o Evangelho. Mais tarde ela parou para descansar em uma caverna perto de St. Baume e acabou ficando por lá por cerca de 35 anos, onde viveu uma vida de retiro e contemplação. A Caverna de Sta. Baume é sagrada e dedicada também à Deusa Egípcia Isis.
A grande descoberta cristã ocorreu em 1279, quando os supostos ossos de Maria Madalena foram encontrados numa caverna perto de Saint Maximim. Um documento datado de 710 (que depois desapareceu), encontrado pelo conde Charles de Provence depois de um aviso num sonho, teria confirmado a autenticidade do achado. Charles gastou sua fortuna para construir a Basílica de Saint Maximim, onde é guardado o suposto crânio de Maria Madalena num relicário. Esta igreja se tornou uma referência turística, além de ser um local religioso para os povos cátaros, que acreditavam que Madalena teria sido a esposa de Jesus.

Em Sainte Marie de la Mer se festeja a data de 24 de maio como a festa de Santa Sara, padroeira dos ciganos. Nesta data ficamos hospedadas no hotel Les Arnelles, e participamos da grande celebração à Virgem Negra, que guarda sabedoria e antigos conhecimentos secretos. Neste dia participamos das orações, da procissão, comidas típicas, muita dança e música cigana.