Os aspectos místicos da psicologia Transpessoal

Atualizado: Set 4

Este era um princípio doutrinário da filosofia antiga e da alquimia: o Todo é Mente, dizia o grande Hermes, também chamado Thot pelos egípcios. Não estamos reconhecendo hoje, na abordagem chamada de Transpessoal, os princípios que estabeleceram uma florescente cultura de mais de 40.000 anos na terra, e cujos pilares se perdem na noite dos tempos? Do pequeno grão de areia até as cintilantes estrelas no céu – parece que tudo se originou de um princípio único. Segundo uma outra vertente histórica que chegou até nossos dias com o nome de Caibalion , poderíamos nos aproximar um pouco mais dessa tradição antiga chamada Gnosis e encontrar aquele que deu origem à Doutrina Secreta, compilada por Helena Blavatski e fonte de inspiração da Teosofia, Considerado em seu tempo o Mensageiro dos Deuses, Hermes Trismegisto, o “Três Vezes Grande” como era chamado entre os gregos, foi um sábio instrutor no antigo Egito que, contemporâneo de Abraão, segundo algumas fontes, teria implantado uma tradição sagrada entre seu povo. Consta que ele teria criado Escolas de Sabedoria anexas aos Santuários Maiores, no Egito, onde se ensinavam medicina, astronomia, botânica, agricultura, geologia, ciências naturais, matemáticas, música, arquitetura, escultura, pintura e ciência política. Entre as obras atribuídas a Hermes, citam-se as seguintes: A Tábua de Esmeralda, O Poimandres, O Asclépios e a Minerva Mundi, todas elas traduzidas pelo estudioso francês Louis Ménard. O nome de Hermes foi posteriormente dado à Universidade do Egito. Daí provém a lenda de que ele teria escrito duas mil obras, abarcando todo o conhecimento do mundo. Supõe-se que ele teria vivido em torno de 2700 a.C., na época em que o Egito já estava sob o domínio dos Reis Pastores. É considerado o pai da Ciência Oculta, o fundador da astrologia e o descobridor da alquimia. Embora seus ensinamentos tenham se difundido por todo o mundo, encontrando-se hoje nas raízes de quase todas as religiões e disciplinas, jamais foi criada uma seita religiosa em seu nome. Recebeu sábios de todos os lugares e países, que vinham aprender com ele. Mas, todos ouviam a advertência de que não deviam deixar que a Doutrina Secreta se cristalizasse num credo. Assim se referiu um poeta quanto ao ideal hermético do conhecimento: “Oh! Não deixeis apagar-se a chama! Mantida por séculos e séculos nessa escura caverna de um templo sagrado! Sustentada por puros ministros do amor! Não deixeis apagar esta divina chama!” Apesar desse cuidado, seus ensinamentos se degeneraram em superstições, cultos, credos e crenças materialistas. Isto aconteceu na Índia e na Pérsia, mas também na Grécia e em Roma. Todavia, conta a tradição que alguns fragmentos da Tábua da Esmeralda foram escritos numa pedra verde que teria sido encontrada dentro das mãos fechadas do cadáver do lendário Hermes, no fundo de uma caverna. Estes escritos e outros textos de sua autoria, que puderam ser decifrados, foram reunidos no livro chamado Caibalion. É dele que se pode ter uma visão mais próxima dos princípios de sua doutrina. Existe um conhecido e atual aforisma que diz: “quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece”. O que muitos não sabem é que esta é uma versão moderna das palavras de Hermes: “Quando os ouvidos do discípulo estão preparados para ouvir, então vêm os lábios para os encher com Sabedoria”. Num dos fragmentos preservados, encontram-se os sete princípios de sua doutrina, segundo era ensinado nos templos egípcios: “Os princípios da Verdade são sete; aquele que os conhece perfeitamente possui a Chave Mágica com a qual todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente.” Em seguida, passa a descrevê-los e o leitor fica perplexo, pois todos fazem parte das mais avançadas teorias descobertas nos últimos tempos, principalmente pela física e pela psicologia. De forma alegórica, Hermes aponta para o plano da realidade onde leis básicas determinam nossa consciência; em seguida se refere à existência de “chaves mágicas” que abrem todas as “portas do templo”. Aqui temos também as chaves da Transpessoal, quando nos ensina que a realidade é uma função do estado de consciência, e que a Supraconsciência é um estado da mente, estado que só é alcançado quando atingimos a unidade com o Todo. Nesse estado, a alma contempla a eternidade e a imortalidade, que são a ausência de tempo e de espaço.


Autor Mani Alvarez

6 visualizações